Diario

Luta entre o Carnaval e a Quaresma

de Pieter Bruegel, o Velho (1559)

Metade da tela celebra as últimas fogueiras das festas, a outra metade já está na dimensão da penitência. É a “Luta entre o Carnaval e a Quaresma”, pintura a óleo sobre madeira, de 1559, de Pieter Bruegel, o Velho , mantida no belo Museu Kunsthistorisches de Viena .

Uma obra extraordinária pelo seu poder evocativo e capacidade de contar um tema caro à História da arte- o carnaval – mas sobretudo a divisão da alma humana: acabada a festa e a subversão da ordem social, está a tristeza da realidade a dominar: é hora de preparar a Páscoa .

O cerne da obra preservada na capital austríaca é o combate. A praça da aldeia é o teatro da representação, de um lado o Carnaval (metade esquerda), do outro a Quaresma (metade direita). A dimensão carnavalesca é representada por um homem gordo montado num barril, rodeado por pratos suculentos, usando como lança um espeto de galinhas, enquanto a Quaresma é representada simbolicamente por uma mulher magra e pálida, que luta com uma pá na qual há apenas dois arenques. Os ajudantes dos dois lutadores também refletem a dimensão do carnaval e da Quaresma. O primeiro é empurrado por dois homens mascarados, enquanto o segundo por um frade e uma freira.

Mas é toda a obra de Bruegel, o Velho, que respira o confronto, de que hoje todos somos um pouco vítimas, entre a diversão que já passou e o advento do clima penitencial da Quaresma. À esquerda – no carnaval – todos estão empenhados em comer, beber e na representação de cenas burlescas de teatro, enquanto à direita se encenam sacrifícios e sofrimentos. A arquitetura também entra em jogo para identificar os dois grupos: à esquerda podemos ver uma pousada, enquanto à direita está representada uma igreja.

Luta entre o Carnaval e a Quaresma de Pieter Bruegel, o Velho (1559)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *