Diario

O futuro perfeito

Em jeito de homenagem a todos os pais e avós!

A neta explora-me os dentes,

Penteia-me como quem carda.

Terra da sua experiência,

Meu rosto diverte-a, parda

Imagem dada à inocência.

 

Finjo que lhe como os dedos,

Fura-me os olhos cansados,

Íntima aos meus próprios medos

Deixamos sossegados.

 

E tira, tira puxando

Coisa de mim, divertida.

Assim me vai transformando

Em tempo de sua vida.

 

Vitorino Nemésio, O Verbo e a Morte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *