Diario

Hoje na História…

Pela Graça de Deus, Afonso VI, Rei de Portugal e dos Algarves, d’Aquém e d’Além-Mar em África, Senhor da Guiné e da Conquista, Navegação e Comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia

A 21 de Agosto de 1643 nascia Afonso, filho de D. João IV e de D. Luísa de Gusmão.

Afonso não nasceu para ser rei pois o filho primogénito e futuro rei era Teodósio de Bragança. Desta forma, a formação de Afonso foi pouco cuidada. Para agravar a situação, com 3 ou 4 anos um surto de febre provocou-lhe danos físicos e mentais muito significativos e limitadores. A prematura morte de Teodósio, em Maio de 1653, assim como da segunda irmã, a princesa Joana, no mesmo ano, conduziu o pequeno príncipe ao lugar de herdeiro ao trono de Portugal.

Afonso foi aclamado rei a 15 de Novembro de 1656 mas, as suas incapacidades, obrigaram a sua mãe, D. Luísa de Gusmão, a assumir a regência.

A vida desregrada, cheia de vícios e comportamentos duvidosos, causou vários constrangimentos à Corte.

Foi apelidado de Vitorioso porque no seu reinado se travaram várias batalhas contra Espanha, inseridas no contexto das Guerras da Restauração, que levaram ao reconhecimento da nossa independência por parte do país vizinho.

Afonso VI reforçou a aliança portuguesa com França ao casar-se com Maria Francisca de Saboia. Mas as suas debilidades físicas e intelectuais motivaram a conspiração do próprio irmão, o príncipe D. Pedro, que consegue afastar o irmão e assumir a regência do reino, declarando-o incapaz. Além disto, consegue a anulação do casamento com a princesa francesa e casa-se ele com a cunhada.

Afonso VI passou o resto do seu reinado isolado, como um prisioneiro, no Palácio de Sintra onde viria a falecer 12 de Setembro de 1683.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *